Shaping the future of animal health
Portugal

Controlo reprodutivo em animais de companhia



O seu cão ou o seu gato tem tendência a fazer marcação urinária em casa? Já pensou em castrá-lo, mas tem receio da cirurgia?


Já equacionou esterilizar a sua cadela, mas assusta-o o facto de ser um procedimento irreversível e tem receio de vir a arrepender-se?


Tem uma gata que exibe comportamento de cio excessivo mas que não quer esterilizar?

 

Agora existe uma alternativa segura, suave e reversível para todos estes problemas! Pode aguardar mais tempo e tomar a sua decisão mais tarde.

Quando temos um animal de estimação, em alguma fase da sua vida, vão surgir-nos dúvidas e preocupações sobre a sua saúde reprodutiva. No início da vida do animal, é-nos, muitas vezes, aconselhada a castração cirúrgica; quer em machos, quer em fêmeas. De facto, já foi provado que, a par de ser um excelente método de controlo da natalidade, a castração está associada à diminuição do risco de vários problemas, como o desenvolvimento de tumores.

Numa fase mais avançada da vida do animal, as preocupações começam a ser outras. Se tivermos um cão que optámos por não castrar, por exemplo, este pode vir a desenvolver problemas prostáticos.

Por outro lado, ao longo de toda a vida do animal, podemos opor-nos à castração definitiva, por querermos que o animal se reproduza, por exemplo, mas temos dificuldades em viver com as consequências comportamentais que esta decisão acarreta para o animal (e para nós). Estas questões comportamentais nem sempre têm uma índole inteiramente hormonal (e, nesses casos, a castração cirúrgica revela-se pouco útil no controlo do temperamento do animal). Nestes casos, poderá interessar-nos investir em soluções que simulem as alterações hormonais induzidas pela castração, mas que sejam reversíveis a longo prazo (de modo a testar a eventual eficácia da castração neste ponto específico).


Alternativa segura e reversível à castração cirúrgicamão com cerejas.png


    Implante hormonal    

Foi da necessidade de contornar todos estes problemas de um modo reversível que se desenvolveu uma alternativa à castração cirúrgica: o implante hormonal.


   Em que consiste o implante hormonal? Quais os seus efeitos?  
  Qual a sua duração?   

O implante é constituído por uma substância com acção maioritariamente central, que vai bloquear a libertação das principais hormonas sexuais do animal, exercendo um papel de controlo reprodutivo temporário no mesmo. É importante, ter em conta que este efeito não é imediato e que, para se manter, deverá repetir-se o tratamento: o efeito é reversível a longo prazo.

Tal como acontece na castração cirúrgica, o uso desta substância vai, não só, permitir um controlo reprodutivo eficaz, mas também um controlo importante e significativo de alguns aspectos comportamentais, como a marcação de território e a exibição de comportamento de cio. O implante pode também ser utilizado em mais espécies animais, como os coelhos, papagaios e furões, com resultados igualmente promissores.

Aconselhe-se junto do seu Médico Veterinário sobre esta alternativa à castração cirúrgica!