Shaping the future of animal health
Portugal
image-from-the-document-manager

 

De que modo é feito o teste de diagnóstico?
 

interna_long_image_protection.jpgOs sintomas na pele e no pêlo podem fazer-nos suspeitar de Leishmaniose, mas é sempre necessário complementarmos esta suspeita com um teste de diagnóstico.

Por outro lado, o período de incubação da Leishmaniose é muito longo e existem cães que permanecem assintomáticos durante muito tempo, reforçando este facto a importância da realização de certas provas.

Para ajudar o Médico Veterinário nesta tarefa, a Virbac desenvolveu um teste rápido que, em 20 minutos, pode dar uma resposta orientativa (ver +).

Nem sempre o diagnóstico é simples e poderão ser necessários outros métodos que só o médico assistente poderá eleger, consoante o caso específico.



O diagnóstico foi negativo! Qual o próximo passo?

Prevenir, prevenir, prevenir! Não existe nenhum método 100% eficaz para o fazer, mas pode diminuir-se substancialmente o risco de infecção ou desenvolvimento da doença por meio das boas práticas anteriormente referidas e de mecanismos médicos como:


Antiparasitários com acção repelente: Encontramo-los no mercado sob a forma de sprays, pipetas spot-on e coleiras repelentes. São essenciais para proteger o nosso cão de possíveis picadas, pela acção directa contra o flebótomo.


Vacina: Mais recentemente, a protecção dos cães foi elevada a um novo patamar. Após 20 anos de pesquisa rigorosa, foi, em 2011, lançada a primeira vacina contra a leishmaniose canina na Europa. Esta é uma medida de protecção que promove a resistência do sistema imunitário do seu cão à doença.

E será que todos os cães podem ser vacinados? Qual a melhor altura para iniciar a vacinação?

Pode vacinar-se a maior parte dos cães com mais de 6 meses de idade e que não sejam portadores de doenças infeciosas, incluindo a Leishmaniose Canina.
O programa completo de vacinação inclui 3 injecções administradas com três semanas de intervalo e confere ao seu cão uma protecção interna duradoura contra a doença.
A partir daí, será necessária apenas uma revacinação anual, o estímulo regular típico dos programas vacinais responsável pela manutenção dos níveis de resistência imunitária do animal.


Não existe uma época própria para vacinar o seu cão, mas, se vive no sul da Europa ou planeia viajar com o seu cão para uma zona de prevalência da Leishmaniose Canina, deverá fazê-lo o mais cedo possível.

Para mais informações sobre a vacina, fale com o seu Médico Veterinário.news-inverno-big.jpg



O diagnóstico foi positivo. E agora?

A prioridade deverá ser assegurar um tratamento para controlar os sintomas e um acompanhamento clínico periódico do animal. É preciso ter presente que a Leishmaniose Canina é um problema sem cura e que vai exigir acompanhamento clínico do animal por toda a vida. De facto, os tratamentos permitem controlar os sintomas, mas não curam a doença. Acresce a isto o facto de serem muito dispendiosos: em média 4 a 5 vezes mais caros que a vacinação1


1 A.R. CASTANHEIRA et al, Pharmacoeconomics: A cost analysis between treatment and vaccination of canine leishmaniosis.