Virbac Portugal

Doenças

Pontuação 0 (0 Avaliação)

Vacinas para gatos

Protegem-nos de quais doenças?

Doenças graves

Muito poucos gatos são vacinados. Menos de 50% dos donos de gatos recordam-se de terem recebido avisos de vacinação*! No entanto, as vacinas protegem os gatos contra variadas doenças contagiosas e, por vezes, fatais.


Tifo (ou Panleucopénia Infecciosa Felina)

Todos os gatos, independentemente do seu estilo de vida, podem ser infectados pelo vírus da Panleucopénia Infecciosa Felina. A presença de um objecto contaminado no meio ambiente é suficiente para despoletar uma gastroenterite hemorrágica potencialmente fatal. Esta doença afecta principalmente gatos jovens e pode propagar-se a ninhadas inteiras.


Coriza

As doenças respiratórias felinas do tracto superior (rinite, sinusite…) são agrupadas sob o nome de coriza. Dois vírus principais estão envolvidos nesta doença: calicivirus (C) e herpesvirus (R).

A vacinação contra a coriza é aconselhada a todos os gatos. Esta doença é muito contagiosa e os sintomas são muito importantes.


Leucemia felina (FeLV)

A leucemia felina é uma doença fatal que se propaga através do contacto directo entre gatos. Provoca imunossupressão que afecta seriamente a saúde do gato, mesmo se os sintomas surgirem tardiamente após a contaminação. Uma vez que o gato é contaminado, não há nada que possa ser feito: a doença não tem cura. Felizmente, existem vacinas para prevenir que o gato seja contaminado por este vírus. É a melhor forma de combater esta doença. Recomenda-se a vacinação de todos os gatos que tenham acesso ao exterior ou que tenham contacto com outros gatos.


Raiva (R)

Em Portugal, a vacinação contra a raiva em gatos não é obrigatória, excepto se o gato viajar para outro país. Esta vacinação é ainda aconselhada a gatos que tenham acesso ao exterior ou que possam eventualmente ter contacto com gatos ou cães infectados (por exemplo, animais importados ilegalmente).
 

A primovacinação deve ser realizada quando o gatinho tem entre as 8 e 16 semanas, quando já não está protegido pelos anticorpos transmitidos pela mãe. Um primeiro reforço é recomendado quando o gatinho atinge 1 ano de idade; os reforços posteriores serão realizados periodicamente.

 

*www.santevet.com/articles/198-vaccination-chez-le-chat-une-protection-indispensable

Avalie este conteúdo: 5 4 3 2 1